Associação Planalto Central

Associação Planalto Central

Testemunho Evangelismo

Nasce uma igreja 

Em 2018, Monte Alto, em Goiás, recebeu seu primeiro templo adventista 

Em Mateus 28:19-20, na grande comissão, Jesus ordenou que pessoas perdidas fossem evangelizadas. Em Atos 1:8, Ele definiu o território em que os discípulos deveriam trabalhar. O método primário de Deus para evangelizar uma nova comunidade foi o plantio de uma igreja na respectiva região. Isso foi realizado pelos discípulos, que saíram por toda parte estabelecendo igrejas (Atos 9:31; 16:5), e por Paulo, em suas três viagens missionárias (Atos 13–19).

Seguindo a recomendação do Mestre, a Igreja Adventista do Planalto Central é atuante na Missão Global e no Plantio de Igrejas. O alvo primário é a implantação de novas igrejas como método para alcançar uma comunidade específica ou um grupo especial de pessoas.

Em Monte Alto, um povoado de aproximadamente 7 mil habitantes pertence ao município de Padre Bernardo, em Goiás, e fica há cerca de 100 quilômetros do centro de Brasília. Foi lá que a Igreja Adventista do Sétimo Dia começou a ser plantada no ano de 2018.

José de Souza, conhecido como Bill, é o ancião da igreja. Ele e o pastor José Britto foram os pioneiros adventistas de Monte Alto.

Mensageiros da esperança

O sonho de ver pessoas transformadas pelo poder de Deus conduziu os homens até o lugarejo, mesmo tendo que enfrentar grandes distâncias através de uma estrada execrável, com diversos buracos. O cheiro de pó exalado pelo contato do pneu com o chão, validou a certeza de que os moradores humildes e sem muitos recursos do local precisavam da mensagem de esperança.

Com apenas uma escola, um posto de saúde e uma quadra de esportes em deplorável estado, os moradores de Monte Alto não tinham muitas opções de lazer.

Para ampliar as possibilidades dos moradores e proporcionar crescimento intelectual, físico e espiritual, o pastor José Britto, do distrito de Brazlândia, um dos responsáveis pelo projeto local, procurou a diretora da escola municipal e propôs uma parceria para ali pudesse funcionar um Clube de Desbravadores. “O clube foi uma ponte para o início da pregação da mensagem de esperança em Monte Alto. Buscamos a diretora, apresentamos o Clube de Desbravadores e a magnitude dele no mundo. Ela aceitou o desafio. O clube chegou a registrar mais de 40 membros. Foi aí que surgiu a necessidade de construirmos a igreja”, expõe o líder.

Crescimento

O pontapé inicial foi o evangelismo que ocorreu na região. Em menos de dois anos, Monte Alto já conta com uma igreja de 30 membros, fruto de um trabalho realizado por pessoas cujo senso de missão está enraizado no coração.

De acordo com o pastor Britto, a realização do projeto só foi possível com a ajuda de líderes comprometidos, que a cada dia querem ampliar ainda mais as atividades do Clube de Desbravadores e utilizar o assistencialismo oferecido pela Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA). “Temos líderes comprometidos, como o Biil e a Rosa. Eles compraram a ideia e deram continuidade. Hoje ambos estão à frente da igreja como liderança sólida e têm feito a mensagem crescer naquela região”, celebra o pastor.

Um sonho

Bill sonhava em fundar uma igreja. No início do projeto, muitas vezes ele abriu as portas do templo, mas ninguém compareceu às reuniões. Porém, a fé do pioneiro só aumentou e ele orou pedindo que Deus enviasse interessados. “Passei uns 7 meses assim. Deus moveu corações e os trouxe para a igreja. Enquanto perseverava, Deus nos honrou e as pessoas chegaram”, conta, comovido.

A construção da igreja teve o apoio do Maranatha Volunteers, uma organização adventista, sem fins lucrativos, que conta com mais de 2,3 mil voluntários em todo o mundo. O projeto tem como missão a construção de edifícios necessitados com urgência, fornecendo estruturas fortes e próprias para locais de culto e ambientes de educação. 

Além dos voluntários do projeto Maranatha, os membros da igreja realizavam um verdadeiro mutirão aos domingos, unindo forças para ajudar na construção do templo. “A gente sente prazer e alegria em trabalhar para Deus. Isso não pode ser colocado em números e estatísticas. Só quem vive a missão entende o que estou falando. É muito gratificante vermos pessoas que viviam de maneira inadequada, no meio da lama da sociedade, aceitarem o evangelho e mudarem de vida”, reitera Bill.

Vida transformada

Com uma garrafa de bebida na mão, sem esperança, sem condições financeiras e quase sem família, Marcondes Reis andava pelas ruas de Monte Alto. No meio dessa jornada infeliz, ele encontrou membros adventistas que o abraçaram e lhe ofereceram estudos bíblicos. Com a ajuda do Espírito Santo, a vida de Marcondes mudou. Ele e sua família conheceram Jesus, foram batizados e hoje ele atua como sonoplasta na igreja que frequenta.

“Quando o missionário vê isso acontecer, tem a resposta do faz e vê que vale a pena servir a Deus nesta Terra. Podemos gastar a vida com várias coisas, mas só podemos encontrar prazer absoluto na missão salvadora de Cristo. É um sentimento inexplicável. Só um missionário consegue entender completamente outro missionário. Só é possível descobrir essa sensação quando aceitamos o desafio de servir”, conclui Bill.

Clique agora e assista a história.